http://siareirosgalegos.blogaliza.org Fri, 02 Nov 2012 14:17:00 +0000 pt-PT hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.1 Yoel Rodríguez: “Gostaria de poder jogar na seleçom porque é um orgulho para qualquer galego” http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/11/02/yoel-rodriguez-gostaria-de-poder-jogar-na-selecom-porque-e-um-orgulho-para-qualquer-galego/ Fri, 02 Nov 2012 14:17:00 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=465 Continue reading ]]> Reproduzimos a seguir a entrevista a Yoel Rodríguez publicada no número 119 do jornal Novas da Galiza, na que o ex porteiro do Celta e actual porteiro do CD Lugo valora a presente situaçom do futebol galego e aposta por recuperar os encontros amigáveis da seleçom galega.

ZÉLIA GARCIA / O atual porteiro do CD Lugo, foi um dos jogadores galegos que conseguiu que o Celta de Vigo ascendera a Primeira Divissom em junho do 2012. Na festa do ascenso, este moço de 24 anos, viguês do bairro de Coia, saía a celebrar com a estreleira às costas, ainda que ele lhe resta importáncia, e assume o feito com normalidade: “Túñez também levava a de Venezuela”. Falamos com ele, junto aos seus cavalos, umha das suas grandes paixons, dos seus começos no mundo deste desporto, do bom momento do futebol galego, e da importáncia da canteira, “porque sentimos as cores de outra maneira”.

Como começa a tua historia com o futebol?

>Eu comecei como qualquer rapaz e, pouco a pouco, vas medrando, tés as ideias mais claras e decideste por isto. A partir de cadetes foi quando apostei forte por ser um jogador profissional. Com seis anos comecei a jogar. Eu nom gostava de ser porteiro, preferia jogar arriba. O que se passa é que tinha um problema: nom gostava nada de perder e quando perdia, e sobretodo nessas idades que nom tés tanta cabeça, dava muitas patadas e pelejava, e o meu tio, dixo que eu tinha que ser porteiro, que ele também tinha jogado nessa posiçom, e assim foi.

Nota-se a crise económica também no mundo do futebol? Vivem-se mudanças nesse sentido determinadas por motivos económicos no vosso sector?

A crise nota-se, claro, e o positivo é que a gente da canteira temos mais facilidade para sair hoje, porque agora os clubes já nom tenhem dinheiro para fichar tanta gente.

Como foi para ti viver o ascenso do Celta?

Foi todo mui intenso, e foi o meu melhor momento, o mais feliz como jogador. Todo o que aconteceu no estádio e depois do bus, e pola cidade ao dia seguinte foi mui bonito. Tanto eu como o resto de companheiros guardaremos para sempre um grandíssimo recordo desses dias.

Nessa festa do ascenso tiveste um recordo mui especial para a tua família.

Nesse momento tam feliz que foi para mim o ascenso quigem lembrar-me das minhas avós: umha quando eu era um rapaz e tinha seis anos faleceu, e a minha outra avó dous dias depois de ascender também morreu. Cada dia que me preguntavam polo ascenso, que a quem lho dedicava, eu sempre falava das minhas avós, porque ela dixo que queria ver o seu neto jogar em Primeira e ao final, por circunstáncias, nom o conseguiu. Eu penso que elas estám aí arriba e eu vou-me esforçar ao máximo para que um dia poidam ver-me em Primeira e que desfrutem comigo.

Como está a ser a experiência deste ano no CD Lugo?

Mui boa, nom pensei que me fosse adaptar tam rápido à cidade, e todo está indo mui bem. Também me acoplei mui rápido com os companheiros. Na Segunda Divissom a gente joga cada vez melhor ao futebol, e este ano há equipas que resulta estranho encontrá-las em segunda pola sua qualidade. O CD Lugo está a adaptar-se mui bem à categoria. Demos a talha em campos mui duros como no do Sporting, por exemplo, e estamos a fazer bom futebol e sacando bons resultados.

Como valorizas toda a polémica com os horários dos jogos e as televisons com a LFP? É possível para umha equipa pequena, com menor orçamento que Barça e Madrid, destacar na Liga tal e como está conformada na atualidade?

Neste tema os jogadores temos pouco a dizer porque todo depende dos clubes e da LFP. É complicado que umha equipa se poida parecer a um Barça ou Madrid, mas podemos destacar à nossa maneira, deixar a nossa pegada e surpreender a mais de um, para além do dinheiro.

Crês que os clubes deveriam fomentar a canteira, qual é a tua opiniom?

Os clubes tenhem que fomentá-la porque a gente da casa vivemos de outra maneira o futebol à hora de defender as cores. O fundamental é pôr vontade, interesse e ganas de treinar, de chegar aí e dá-lo todo.

Como valorizas o momento atual do futebol galego?<

É mui bom, com equipas em primeira, em segunda e segunda B. Isto vem-lhe mui bem à Galiza, e eu aguardo que continuemos neste caminho. Neste caso trabalharei para que o CD Lugo mantenha a categoria, e aguardo que o Celta a mantenha, e o Coruxo e o Ourense também. É positivo porque somos muitos os jogadores galegos que estamos demonstrando o nosso alto nível em todas as competiçons.

Entom seria um bom momento para a Junta da Galiza relançar as convocatórias dos jogos oficiais da seleçom galega? Participaste de algumha das convocatórias anteriores?

Eu nunca estivem, só quando era mais novo em cadetes e juvenis, mas na primeira plantilha nom estivem. A verdade é que gostaria de poder jogar algum dia na seleçom galega porque sempre é um orgulho para qualquer galego. Quando se jogou em Balaídos, como em San Lázaro ou Riazor, foi um espetáculo. Eu estivem no jogo de Balaídos e cheguei ali, vim o campo cheio, escuitei o hino, num ambiente excepcional, foi emocionante. Som cousas que nom se vivem todos os dias, e que haveria que repetir.

Como levas ser umha figura pública e mesmo contar com um clube de fans?

Agradeço muito o carinho da gente, sentir que há quem aprecia o teu trabalho, e mesmo os sorrisos pola rua de gente que nom conheces, mas eles reconhecem-me e apoiam-me.

Que mensagem lhe trasladas a aqueles rapazes e raparigas que se queiram dedicar a este desporto de um jeito profissional?

A mesma que lhe traslado ao meu irmao mais novo, que também joga ao futebol, e que tanto serve para o futebol como para a vida em geral: é que há momentos em que as cousas se torcem ou se endireitam, mas temos que obrigar-nos a nós mesmos a nom nos render nunca, estar sempre dispostos a dar a batalha polo nosso sonho.

Que metas profissionais te marcas?

O futebol é um trabalho mui cambiante. Eu tivem a sorte agora de sair de umha equipa galega e poder ir para outra, mas som consciente de que podo nom ter esta sorte sempre. A minha primeira meta é fazer as cousas o melhor possível, deixar ao Lugo em segunda, e o que venha o ano que vem que seja bem-vindo. Se fazemos todas as cousas bem agora, a próxima temporada será melhor. Eu pertenço ao Celta e nom vou mentir: aguardo poder ficar no Celta, demonstrar que eu sim que quero ficar aqui.

]]>
A equipa galega de trainha S.D.R. Rias Baixas volve ganhar a bandeira da Kontxa de Donosti http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/10/29/a-equipa-galega-de-trainha-s-d-r-rias-baixas-volve-ganhar-a-bandeira-da-kontxa-de-donosti/ Mon, 29 Oct 2012 22:11:09 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=460 Continue reading ]]> Reproduzimos a seguir o artigo publicado na secçom de desportos do último número do jornal mensal Novas da Galiza (119), onde Ismael R. Saborido informa da vitória galega no campionato da Bandeira da Kontxa, que por quinto ano consecutivo foi para a trainha feminina das Rias Baixas. Desde Siareir@s Galeg@s parabenizamos às desportistas por um trunfo que compartimos, num desporto que se está a consolidar no nosso país a pesar do pouco eco do que goça nos médios de comunicaçom empresariais.

Rias Baixas conquista a quinta Bandeira da Kontxa

ISMAEL R. SABORIDO / Outubro é o mês dos dixomedíxomes, das chamadas e das fichagens para o próximo ano, mas também toca fazer balanço da temporada que termina: a trainha das Rias Baixas ganha a sua quinta Bandeira da Kontxa de modo consecutivo, a SD Tiram à altura dos melhores na máxima categoria do remo a banco fixo, o CR Chapela da a surpresa na baía donostiarra e entra, junto com Tirán, na final da Kontxa, e a Liga Galega de Trainhas consolida-se com umha participaçom de 17 embarcações divididas em 2 ligas. O remo galego apanha ar depois de uma boa temporada.

A trainha feminina da S.D.R.Rias Baixas, venceu pola quinta ediçom consecutiva na Bandeira da Kontxa, a mais cobiçada do mundo arraunlari. Desde que, em 2008, finalmente, se permitisse competir às mulheres nesta regata, a trainha galega trouxo para a Galiza todas as bandeiras em jogo.

A trainha galega, tal como na última temporada, nom conseguiu vencer na competiçom regular, a Liga Euskotren, ficando a apenas um ponto das vencedoras, as remeiras de Zumaia. De aí as esperanças de seus rivais, que desejavam romper a hegemonia das galegas. Mas as remeiras treinadas por Beni Silva nom queriam surpresas e para apagar qualquer dúvida que houvesse sobre o seu nível, figérom umha regata perfeita a primeira jornada e deixárom praticamente sentenciada a bandeira. A vantagem de mais de nove segundos sobre o seu imediato perseguidor foi suficiente para desmotivar (desencorajar) a remeiras bascas de para a segunda jornada.

O segundo dia, com a bandeira feminina decidida, a emoçom centrava-se na categoria masculina, onde Kaiku e Urdaibai se viam as caras. Mas para nós, o atrativo estava sobre as duas tripulaçons galegas, Tiran, que finalmente conseguiria subir ao terceiro degrau do pódio, e Chapela, a surpresa do dia classificatória, onde os redondeláns superárom sete embarcaçons da liga ACT e contra todo prognóstico entrárom na final pola primeira vez na sua história. Finalmente terminárom na sétima posição.

Liga ACT

O representante galego na ACT, Tirán, melhorou o resultado da última temporada, alcançando a quarta posiçom. Foi umha temporada perfeita para a tripulaçom moanhesa, luitando de tu a tu na quenda de honra contra as melhores e conseguindo umha nova bandeira. Sem esquecer o ouro conseguido em bateis e a prata e o bronze em trainerilhas.

Liga Galega

O 2012 foi o ano da consolidaçom da Liga Galega que apresentava novidades em relaçom às anteriores ediçons. Duas categorias, liga A e liga B, onde se repartiriam as dezassete embarcaçons da Galiza. Na liga A venceu a trainha de Amegrove, igualada em pontos com a de Chapela, que liderou a liga desde a primeira jornada, mas que nas últimas jornadas nom aguentou o ritmo dos ogrovenses. Samertolameu completou o pódio. Na Liga B, o vencedor foi a outra embarcaçom de Ogrove, Mecos, que de este modo ascende à Liga A, com apenas um ponto de vantagem sobre Perilho.

Novas da Galiza, Nº119.

]]>
Siareir@s Galeg@s contra o passo de “La Vuelta” por Galiza http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/10/29/siareirs-galegs-contra-o-passo-de-%e2%80%9cla-vuelta%e2%80%9d-por-galiza/ Mon, 29 Oct 2012 22:08:29 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=456 Continue reading ]]> Siareir@s Galeg@s quer manifestar o seu rejeitamento a que cinco etapas da competiçom ciclista “La Vuelta a España” passem por territorio galego, obviando por completo a nossa identidade como povo diferenciado num evento que, além do desporto, pretende rebaixar Galiza ante o público ao nivel “dumha regiom mais de Espanha”.

@s galeg@s estamos fart@s de ver como desde os poderes políticos se promocionam todo tipo de eventos desportivos de carácter nom só español, mas espanholista, enquanto o desporto galego está ignorado, quando nom proibido, desde as instituiçons públicas, tanto a nível profissional como a nível de base. Conscientes do potencial identitário que tem o desporto hoje em dia, desde o Estado espanhol seguem impossibilitando aos desportistas galeg@s competir libremente com selecçons próprias a nível internacional representando ao nosso País, se assim o desejar.

O rejeitamento de Siareir@s Galeg@s ao passo “La Vuelta a España” polo nosso País nom choca em nengum momento com o respeito aos desportistas participantes e, sobre todo, com os melhores desejos para os ciclistas galegos, pois é um dos eidos desportivos nos que mais se pode parabenizar o nosso País.

GALIZA NOM É ESPANHA!

]]>
Vídeo das Olimpiadas Populares Galegas ’12 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/06/29/video-das-olimpiadas-populares-galegas-%e2%80%9912/ Fri, 29 Jun 2012 16:28:49 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=449 http://youtu.be/frBzVW1b2xs

]]>
Siareir@s Galeg@s fará debutar a selecçom galega de futebol gaélico contra Bretanha http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/06/22/siareirs-galegs-fara-debutar-a-seleccom-galega-de-futebol-gaelico-contra-bretanha/ Fri, 22 Jun 2012 18:49:51 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=439 Continue reading ]]> O vindeiro 20 de Julho, dentro do marco de actividades do Festival da Terra e da Língua que organiça a Fundaçom Artábria, levara-se a cabo o primeiro partido da seleçom galega de futebol gaélico. O encontro estará organizado por Siareir@s Galeg@s e será de grande importância neste desporto a nível galego, já que vai em caminho de que Galiza poida competir de jeito oficial neste desporto. O amistoso jogara-se entre as selecçons da Galiza e da Bretanha, ambas reconhecidas oficialmente pola GAA (máximo órgao internacional deste desporto).

Desde Siareir@s Galeg@s apoiaremos todo este processo para consolidar esta seleçom e esperamos que tenha umha longa trajectória nas competiçons internacionais. Ademais cremos que será umha boa oportunidade para achegar um desporto tam pouco conhecido como este à populaçom galega, fuxindo dos desportos-espectáculo

Deixamos um vídeo explicativo sobre o futebol gaélico:

UMHA NAÇOM, UMHA SELEÇOM!

]]>
Canha contra Espanha! http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/06/05/429/ Tue, 05 Jun 2012 14:26:06 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=429 Continue reading ]]> Siareir@s Galeg@s apressenta a campanha “Canha contra Espanha”, para revindicar que a nossa seleçom é a galega.

A campanha tomará força os días que jogue Espanha na vindeira Eurocopa. As comarcas galegas que se adiram, organizaram um roteiro-foliada reivindicativa. Juntaremo-nos nos principais pontos de cada vila com as camissolas da selecçom galega, bufandas, bandeiras da patria…, etc; e pararemos a tomar canhas polos bares que previamente se somaram a nossa iniciativa.

Ha que recordar, que as federaçons internacionais (FIFA, FIBA.., etc) som privadas, e é a Espanha do regimem “democrático” a que veta o nosso acesso. Polo tanto, os días que jogue Espanha, torna-se mais necessario ca nunca fazer visiveis as nossas reivindicaçons. De esta maneira, reclamaremos de modo lúdico e festivo a oficialidade para nossa seleçom e berraremos bem alto que a nossa é a galega!

Se queres que a tua comarca participe em esta iniciativa ou queres colaborar de algum outro modo podes por-te em contato em: nacional@siareirasgalegas.org

Recordamos, que teremos cartazes, colantes…, etc; da campanha anti-eurocopa para a sua
distribuiçom.

Nas vindeiras datas facilitaremos os nomes das comarcas que se vaiam aderindo.

GALIZA É A NOSSA SELEÇOM!

]]>
A II ediçom das Olimpiadas Populares Galegas celebrara-se em Ponte Vea os dias 16 e 17 de Junho http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/05/30/a-ii-edicom-das-olimpiadas-populares-galegas-celebrara-se-em-ponte-vea-os-dias-16-e-17-de-junho/ Wed, 30 May 2012 00:10:53 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=425 Continue reading ]]> Já ficam poucos dias para que remate o praço de inscriçom na II ediçom das Olimpíadas Populares Galegas, que este ano teram lugar em Ponte Vea, no concelho de Teu.

Mais um ano a equipa de Siareir@s Galeg@s estará presente para defender o título de Campeom e agardamos, que alem disto, as jornadas sejam novamente todo um sucesso. Depois de juntar o ano passado um total de 8 equipas e mais dum cento de pessoas, aguardamos que este ano nom seja menos e que o projecto nom só se consolide, se nom que vaia em aumento, achegando assim a forma mais participativa do desporto ao tecido associativo galego.

Desde Siareir@s Galeg@s fazemos um chamamento e animamos a participar no evento desportivo anual dos movimentos sociais galegos. Se ainda nom fizestes umha equipa na vossa associaçom, ainda tedes até o 30 de Maio para faze-lo e poder competir polo simbólico título.

Nom se precisa de grandes desportistas, se nom de gente com ganhas de participar dum fim de semana no que o desporto será o eixo de convívio das associaçons que trabalhamos desde a base para a transformaçom do nosso pais.

Este ano o regulamento conta com várias modificaçons respeito ao do ano passado: Por um lado suprime-se a prova de lançamento de peso, mas engadem-se as de tiro de corda e chave. Também mudaram as distâncias no triatlo por relevos e teram pontuaçom os segundos postos em cada prova, tentando fazer a competiçom mais justa.

Para mais informaçom sobre o evento, consultar o blogue das Olimpíadas Populares Galegas.

]]>
Rolda de imprensa no Congreso dos Diputados http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/05/30/rolda-de-imprensa-no-congreso-dos-diputados/ Wed, 30 May 2012 00:06:02 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=421 http://youtu.be/lgA0_RsAHr4

]]>
Siareir@s Galeg@s, ESAIT e CAT comparecen no Congresso para exigir a oficialidade das selecçons nacionais http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/05/16/siareirs-galegs-esait-e-cat-comparecen-no-congresso-para-exigir-a-oficialidade-das-seleccons-nacionais/ Wed, 16 May 2012 16:03:02 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=418 Continue reading ]]> Umha delegaçom de Siareir@s Galeg@s comparecerá no Congresso dos Deputados, junto com ESAIT e a Plataforma pro Seleccions Esportives Catalanes, para exigir o direito de Galiza, Euskal Herria e Catalunya a ter selecçons desportivas próprias que puder competir de jeito oficial.

O nosso colectivo acodirá o vindeiro dia 21 de maio ao Congreso dos Deputados, em Madrid, onde participará numha comparecência conjunta com o colectivo pro-oficialidade basco ESAIT e com a Plataforma proSeleccions Esportives Catalanes. Alí, representantes dos tres colectivos leram um manifesto conjunto no que vindicaram o direito de Galiza, Euskal Herria e Catalunya a contar com selecçons desportivas própias que puder competir de jeito oficial em competiçons internacionais.

A iniciativa, que parte de ESAIT, enquadra-se dentro dumha campanha que servirá para levar à capital espanhola a vindicaçom da oficialidade, com motivo da celebraçom da final da Copa do Rei, entre o Athletic Club e o F.C.Barcelona, que terá lugar o 25 de maio em Madri. Siareir@s Galeg@s, ESAIT e a Plataforma proSeleccions Esportives Catalanes continuaram trabalhando em açons institucionais conjuntas, sendo a vontade levar umha proposta aos parlamentos das comunidades galega, basca e catalá, respectivamente, para o reconhecimento da oficialidade das federaçons desportivas própias e a sua capacidade para competir de maneira internacional, amparando esse direito de forma legal. Ademais, deste jeito, as jogadoras e jogadores federados poderiam escolher com que selecçom competir, eliminando as posíveis sançons actualmente vigentes por nom acudir à convocatória da selecçom espanhola.

No Estado espanhol existem selecçom desportivas coma as de Galiza, Euskal Herria e Catalunya que nom tenhem direito a participar de competiçons internacionais de jeito oficial. A razom é que o governo espanhol impide a estas selecçons a presença internacional por meio de pressons diplomáticas e mesmo procedendo a mudanças nos estatutos dalgumhas federaçons internacionais para impedir a devandita participaçom.

A esta falta de reconhecimento já grave de por si, no caso galego há que engadir o ataque que supom a negaçom da selecçom galega oficial por parte da Xunta de Galicia, perpetrada polo presidente Alberto Núñez Feijóo nada mais chegar ao cargo. A excusa da “austeridade” nom val para justificar o que nom é senom umha parte mais da cruzada anti-galega do PPdeG mais espanholista.

É obvio que existem no mundo federaçons de naçons sem estado que participam em situaçom de igualdade contra Espanha, França, Alemanha o qualquer outro país. Aí temos os exemplos de Irlanda do Norte, Escócia, Gales, Ilhas Feroe, Groenlândia, Gibraltar, Palestina, Quebeque, Tahiti, Hong-Kong, Sáara (hai pouco admitida) e um longo etcétera, o qual demonstra a asimilaçom e nulidade a que nos submete Espanha.

Deste jeito, o Estado espanhol deveria respeitar os direitos individuais e colectivos das e dos desportistas bascos, catalans e galegos para competir com as suas respeitivas selecçons e com os hinos e bandeiras que lhes representam, e nom aplicar umha política de imposiçom e de castigo que pode implicar até umha retirada da licença federativa.

Como colectivo som muitos os anos de luita e compromisso que temos demonstrado com as nossas selecçons e a nossa pátria. Podem ter bem claro que nom imos parar com as nossas vindicaçons e seguiremos dia após dia até acadar os nossos objectivos. A sua repressom e negaçom só nos fam mais fortes e nos da folgos para continuar adiante.

UMHA NAÇOM, UMHA SELEÇOM!

]]>
Siareir@s Galeg@s soma-se ao bloco laranja no 17 de Maio http://siareirosgalegos.blogaliza.org/2012/05/15/siareirs-galegs-soma-se-ao-bloco-laranja-no-17-de-maio/ Tue, 15 May 2012 01:13:02 +0000 http://siareirosgalegos.blogaliza.org/?p=413 Continue reading ]]> Mais um ano chega o Dia das Letras Galegas com pouco que celebrar e muito polo que luitar. A nossa língua atopa-se numha situaçom crítica de ataque e abandono social que vai em aumento ano após ano e na que se fai necessária umha luita activa para a sua defesa. A língua é um dos eixos principais que nos identifica como povo e que mantém vivo o nosso ser como galegas e galegos.

É por isso que o nosso colectivo se adire à convocatória dum bloco laranja na manifestaçom deste 17 de Maio. A nossa luita polas selecçons nacionais e o desporto galego nom fica só nisso e nom tem sentido sem ir ligada à defesa da soberania do nosso povo e dos seus dereitos como tal. Desde o nosso colectivo sempre vinhemos apoiando iniciativas que buscam unir forças neste sentido e é esta umha ocassom mais na que estaremos na rua, junto com outras organizaçons, para cumprir com isto.

Animamos também a tod@s @s galeg@s comprometid@s como o nosso pais a manifestar-se na vindeira quinta-feira desde a alameda de Compostela e a fazer sua cada dia a luita polo dereito a vivermos em galego.

Abaixo anexamos o manifesto do bloco laranja que assumimos como colectivo:

A língua por bandeira: Na Galiza, só em galego!
Pola Oficialidade Única do Galego

A defesa do galego por parte de todos e todas as habitantes do nosso país é a melhor e a mais efetiva maneira de afirmarmos o direito coletivo a sermos o que sempre fomos: galegos e galegas.

A perseguiçom do direito fundamental a vivermos na nossa língua, protagonizada por todas e cada umha das instáncias oficiais da institucionalidade espanhola, é a melhor prova de até que ponto existe umha planificaçom por parte do Estado espanhol para a desapariçom da Galiza como realidade diferenciada e com direito à existência.

O anterior é certo e visível no dia a dia de todos e todas nós. Os mecanismos de poder lingüístico mantenhem-se em maos do espanholismo de maneira inegociável para eles. A açom desgaleguizadora nom se reduz às etapas de governos do PP, por mais que essa força política represente a expressom mais crua da barbárie espanhola.

Esses mesmos mecanismos lingüicidas estám presentes nas instituiçons governadas por todas as forças do espanholismo, “duro” e “brando”, e atuam de maneira decidida, favorecendo e favorecendo-se, em simultáneo, da desarticulaçom da comunidade lingüística galega.

Concelhos, deputaçons, governo autónomo, organismos de justiça, ensino público e privado, meios de comunicaçom, poderes económicos… todos eles som expressons dos interesses oligarquia espanhola dominante e contam com a vergonhosa colaboraçom da classe dirigente galega, vendida e renegada.

Hoje é bem visível o resultado da cooficialidade “outorgada” pola Constituiçom espanhola de 1978, que só marcou umha nova fase do histórico processo de assimilaçom. Desta vez em nome do bilingüismo, preparou o terreno para a liquidaçom definitiva do galego, que hoje está mais próxima do que nunca estivo.

A resistência que no plano lingüístico sempre nos caraterizou, e que nos permitiu mantermos esse património milenar que é a língua, corre hoje mais risco que nunca de ser varrido polos poderosos meios de propaganda e restantes ferramentas com que conta o projeto nacional espanhol para conseguir o seu objetivo final: deixar a Galiza sem fala, convertê-la em mais umha regiom espanhola rendida e desarmada.

A resposta tem que estar à altura da agressom. Devemos promover e articular a unidade de todos os setores conscientes e defensores da nossa identidade lingüística; devemos praticar e exercer dia a dia, em cada cidade e em cada vila, o direito a viver e organizar-nos em galego; mobilizar-nos e denunciar cada nova agressom, mantendo sempre em alto a bandeira que melhor representa o que ainda somos: galegos e galegas.

– Querem converter o galego em língua marginal e estrangeira na própria pátria: defendamos a sua centralidade em toda atividade social, sem concessons.
– Querem que o galego seja umha fala regional, “autonómica” e dependente do todo-poderoso espanhol: afirmemos e pratiquemos a unidade lingüística galego-luso-brasileira, pois o galego fai parte de um amplo espaço lingüístico internacional e nom podemos desperdiçar o que isso supom.
– Querem converter o conflito lingüístico num assunto institucional, decidido polas maiorias e minorias parlamentares: levemos o conflito às ruas e situemos o galego por cima de qualquer fracionalismo partidista e eleitoreiro. O galego é o primeiro!
– Querem que assumamos o bilingüismo oficial e desequilibrado como inevitável, sabendo que o tempo joga a favor do espanhol: exerçamos a nossa soberania lingüística, reivindicando a Oficialidade Única do galego numha Galiza soberana.
– Querem que assumamos o espanhol e, através dele, que assumamos Espanha. Respondamos promovendo e galeguizando todo o tipo de projetos sociais, públicos e comunitários: escolas, centros sociais, produçom cultural, música, luita social, política e sindical… todo ao serviço do nosso principal sinal de identidade coletiva, todo ao serviço de umha Galiza livre e em galego.

]]>