A equipa galega de trainha S.D.R. Rias Baixas volve ganhar a bandeira da Kontxa de Donosti

Reproduzimos a seguir o artigo publicado na secçom de desportos do último número do jornal mensal Novas da Galiza (119), onde Ismael R. Saborido informa da vitória galega no campionato da Bandeira da Kontxa, que por quinto ano consecutivo foi para a trainha feminina das Rias Baixas. Desde Siareir@s Galeg@s parabenizamos às desportistas por um trunfo que compartimos, num desporto que se está a consolidar no nosso país a pesar do pouco eco do que goça nos médios de comunicaçom empresariais.

Rias Baixas conquista a quinta Bandeira da Kontxa

ISMAEL R. SABORIDO / Outubro é o mês dos dixomedíxomes, das chamadas e das fichagens para o próximo ano, mas também toca fazer balanço da temporada que termina: a trainha das Rias Baixas ganha a sua quinta Bandeira da Kontxa de modo consecutivo, a SD Tiram à altura dos melhores na máxima categoria do remo a banco fixo, o CR Chapela da a surpresa na baía donostiarra e entra, junto com Tirán, na final da Kontxa, e a Liga Galega de Trainhas consolida-se com umha participaçom de 17 embarcações divididas em 2 ligas. O remo galego apanha ar depois de uma boa temporada.

A trainha feminina da S.D.R.Rias Baixas, venceu pola quinta ediçom consecutiva na Bandeira da Kontxa, a mais cobiçada do mundo arraunlari. Desde que, em 2008, finalmente, se permitisse competir às mulheres nesta regata, a trainha galega trouxo para a Galiza todas as bandeiras em jogo.

A trainha galega, tal como na última temporada, nom conseguiu vencer na competiçom regular, a Liga Euskotren, ficando a apenas um ponto das vencedoras, as remeiras de Zumaia. De aí as esperanças de seus rivais, que desejavam romper a hegemonia das galegas. Mas as remeiras treinadas por Beni Silva nom queriam surpresas e para apagar qualquer dúvida que houvesse sobre o seu nível, figérom umha regata perfeita a primeira jornada e deixárom praticamente sentenciada a bandeira. A vantagem de mais de nove segundos sobre o seu imediato perseguidor foi suficiente para desmotivar (desencorajar) a remeiras bascas de para a segunda jornada.

O segundo dia, com a bandeira feminina decidida, a emoçom centrava-se na categoria masculina, onde Kaiku e Urdaibai se viam as caras. Mas para nós, o atrativo estava sobre as duas tripulaçons galegas, Tiran, que finalmente conseguiria subir ao terceiro degrau do pódio, e Chapela, a surpresa do dia classificatória, onde os redondeláns superárom sete embarcaçons da liga ACT e contra todo prognóstico entrárom na final pola primeira vez na sua história. Finalmente terminárom na sétima posição.

Liga ACT

O representante galego na ACT, Tirán, melhorou o resultado da última temporada, alcançando a quarta posiçom. Foi umha temporada perfeita para a tripulaçom moanhesa, luitando de tu a tu na quenda de honra contra as melhores e conseguindo umha nova bandeira. Sem esquecer o ouro conseguido em bateis e a prata e o bronze em trainerilhas.

Liga Galega

O 2012 foi o ano da consolidaçom da Liga Galega que apresentava novidades em relaçom às anteriores ediçons. Duas categorias, liga A e liga B, onde se repartiriam as dezassete embarcaçons da Galiza. Na liga A venceu a trainha de Amegrove, igualada em pontos com a de Chapela, que liderou a liga desde a primeira jornada, mas que nas últimas jornadas nom aguentou o ritmo dos ogrovenses. Samertolameu completou o pódio. Na Liga B, o vencedor foi a outra embarcaçom de Ogrove, Mecos, que de este modo ascende à Liga A, com apenas um ponto de vantagem sobre Perilho.

Novas da Galiza, Nº119.

This entry was posted in Notícias. Bookmark the permalink.